Modelagem de Ecossistemas com competição por recursos em relevos com fragmentação.

Modelagem de Ecossistemas com competição por recursos em relevos com fragmentação.

Discente: 
Raphael Jorge de Andrade Galvão Vieira
Orientador: 
Viviane Moraes de Oliveira

Muitos fatores podem influenciar na perpetuação e desenvolvimento de um ecossistema,
entre eles podemos citar a forma como é feita a alocação dos recursos e a heterogeneidade
espacial. Com o melhor entendimento des padrões como a relação espécie-área e a distribuição
de abundância em um modelo onde as espécies interagem em ambientes com estrutura espacial,
podemos obter um entendimento mais profundo dos processos que ocorrem em um ecossistema.
Neste trabalho nosso principal objetivo foi estudar o efeito da fragmentação sobre esses
habitats e a influência sobre os padrões citados acima.
No modelo as espécies interagem em uma rede bidimensional. A distribuição das espécies
é feita de forma aleatória sobre os sítios da rede. Após o sorteio de um dado sítio, identificamos
os quatro vizinhos mais próximos, com o intuito de que a população daquele sítio se reproduza
e ocupe um sítio não habitado com certa probabilidade, que irá depender da distribuição dos
recursos naquela área e da forma como as espécies utilizam esse recurso. Quando estendemos
esse modelo para habitats fragmentados, uma proporção de 5% , 15%, 25% e 35% dos sítios foi
estabelecida como não disponível para a ocupação das espécies.
Os resultados obtidos nos mostram que a relação espécie-área apresenta um regime em lei de
potência para áreas pequenas e outro para áreas grandes, e que para heterogeneidades pequenas
e intermediárias o expoente da lei de potência cresce , decrescendo para heterogeneidades muito
altas. Também observamos que o expoente para áreas grandes é sempre maior que para áreas
pequenas e que a inclinação da reta cresce à medida que a área é mais fragmentada.
Também verificamos uma relação unimodal entre a diversidade e heterogeneidade, resultado
compatível com os encontrados na literatura.