Estudo do Processo de Fragmentação Dinâmica em Redes Heterogêneas com Competição por Recursos

Estudo do Processo de Fragmentação Dinâmica em Redes Heterogêneas com Competição por Recursos

Discente: 
Sara Lucia Castillo Daza
Orientador: 
Viviane Moraes de Oliveira

Na natureza e evidente que qualquer alterac~ao ambiental ou perturbac~ao no espaco, provoca
mudancas na distribuic~ao das especies. Por isso e importante analisar as utuac~oes
que resultam por tais situac~oes e a maneira em que afetam a diversidade de especies com o
tempo.
Neste trabalho o principal objetivo foi estudar o comportamento apresentado pela diversidade
de especies, em um ecossistema com ambientes heterog^eneos submetido a processos
de fragmentac~ao din^amica. Para isso, estudamos um modelo estocastico computacional,
onde denimos a estrutura espacial construindo uma rede bidimensional com condic~oes de
contorno periodicas, em que distribumos certa quantidade de recursos em cada stio e a heterogeneidade
espacial e introduzida subdividindo a rede em regi~oes de tamanhos iguais. Os
stios gerados s~ao ocupados por no maximo um indivduo, que morre com uma taxa xa. Se
o indivduo n~ao morre, e existe ao menos um stio vazio na vizinhanca (quatro vizinhos mais
proximos do stio), o indivduo se reproduz com uma probabilidade que depende da forma em
que o indivduo aproveita os recursos. Depois implementamos o processo de fragmentac~ao
na rede, que sucede quando o sistema se estabiliza. Usamos duas taxas de fragmentac~ao.
Analisamos a evoluc~ao temporal das especies, a relac~ao especie-area, a relac~ao da diversidade
de especies com a heterogeneidade na rede e distribuic~oes de abund^ancia das especies.
Observamos que antes de acontecer a fragmentac~ao din^amica, devido ao fato de os recursos
serem limitados, as especies competem entre si pelos recursos, ocasionando um decrescimento
do numero de especies. Com a evoluc~ao do tempo e o processo de fragmentac~ao din^amica, 

a perda de especies se tornou mais lenta e menos abrupta quando a taxa de fragmentac~ao
p e pequena. No entanto, os stios n~ao colonizaveis que surgem por causa da fragmentac~ao
reduzem o espaco adequado no habitat, dicultando a exist^encia de especies com grandes
populac~oes, especialmente em ambientes com maior numero de habitats.
Encontramos na relac~ao especie-area dois regimes em lei de pot^encia em que S Az para
areas pequenas e areas grandes e dois casos em que se ajusta a uma unica lei de pot^encia.
Alem disso, foi vericado que a inclinac~ao, dada pelo valor de z, e maior em ambientes com
heterogeneidades intermediarias, indicando que a diversidade cresce mais rapido com a area
nesses ambientes.
Na relac~ao entre a diversidade de especies e a heterogeneidade espacial foi possvel distinguir
uma relac~ao unimodal, onde os pontos de maxima diversidade correspondem a heterogeneidades
intermediarias.
Nossos resultados podem contribuir para um melhor entendimento dos efeitos de interfer^
encias humanas sobre os ecossistemas.